32 - Quais cuidados devemos tomar com o Implante Coclear no Carnaval?

Quais cuidados devemos tomar com o Implante Coclear no Carnaval?

* Matéria publicada em fevereiro de 2017.

Está chegando a época mais agitada do ano! Muitas pessoas comemoram o carnaval em blocos de rua ou festas em clubes. Mas, no meio de tanta música e dança, precisa-se lembrar de alguns cuidados que os usuários de Implante Coclear devem tomar com os seus dispositivos.

Dr. Rogério Hamerschmidt, otorrinolaringologista chefe do Serviço de Implante Coclear do Hospital de Clínicas da Universidade Federal do Paraná, explica que geralmente não há restrições para implantados em relação à proximidade de carros de sons ou trios elétricos, exceto se a pessoa tiver grande sensibilidade aos sons. “Não tem restrição, porém, o som alto pode incomodar, dependendo de quanto tempo o indivíduo tenha de implantado. E outro problema é perder o processador no meio da folia. Na verdade, esse é o maior problema!”.

Realmente, como disse o Dr. Rogério, há riscos ao se levar o processador do Implante Coclear para o meio da agitação do carnaval. Vários usuários de IC preferem, inclusive, não participar nessas ocasiões, ou ir sem o aparelho. Paula Pfeifer Moreira, blogueira do Crônicas da Surdez e bi-implantada, é um deles. “Eu não tenho coragem de sair com os IC’s em multidões! Porque, para perdê-los, basta um esbarrão...”, diz.

O implantado Marcos Felipe também prefere deixar seu Implante Coclear em casa e curtir a folia sentindo a vibração dos instrumentos musicais. “Nunca levei o IC, porque é cada porrada que rola na rua, é cada empurra-empurra, e você fica prensado no meio da multidão, leva diversos tapas na cabeça (se eu estivesse com o IC, ele teria caído no chão e alguém teria pisado nele). Há o risco também de furtarem seu IC, achando que é um celular. As pessoas jogam cerveja em você, jogam água e espuma (já entupiram meu ouvido com aquela espuma que é vendida durante o carnaval). Enfim, para mim, carnaval e IC não combinam”, declara.

Já Edinilma Carla encontrou o seu próprio meio-termo para poder curtir a folia ouvindo com o Implante Coclear. “Eu sempre me divirto longe dos blocos de carnaval. Aquele empurra-empurra não é legal mesmo, mas ficar sem ouvir também não cola para mim. Então, prefiro ir para lugares mais calmos e me divirto também. E quando chego em casa, deixo o processador do IC no desumidificador”.

Indo ao Carnaval com o Implante Coclear

Se o usuário de Implante Coclear opta por levar seu processador para a folia do carnaval, deve ficar atento a três requisitos principais para curtir a ocasião com segurança: evitar a umidade e o suor (durante e depois das festas), fixar o aparelho ao seu corpo de forma mais resistente e levar reservas de pilhas ou baterias recarregáveis para não ficar sem ouvir.

Inclusive para o carnaval das crianças pequenas na escolinha, os cuidados devem ser os mesmos. A mãe Lina Meira cita os procedimentos que toma para cuidar do IC de seu filho Leonan, mesmo nos dias sem folia. “Aqui, sempre usamos a fita adesiva para peruca, para fixar o processador na orelha. Quanto ao suor, o aparelho passa a noite no desumidificador, todo dia”. Já Fabi Vidal, mãe de Leonardo, utiliza capinhas nos aparelhos do seu filho. “Usamos capinhas de neoprene nos dois IC’s, porque ele transpira bastante, além do desumidificador diariamente. Usamos também uma cordinha de óculos para prender os IC’s na camiseta”, explica.

Alguns modelos de Implante Coclear possuem capas à prova d’água que, além de proteger da umidade, também são alternativas para fixar o processador ao corpo do usuário, evitando quedas e perdas. Juliana Teixeira Moreira, implantada com o processador Naída, da Advanced Bionics, utiliza o acessório Aquacase justamente para essas duas finalidades, e pretende usá-lo no carnaval esse ano. “Nas olimpíadas aqui no Rio de Janeiro, eu usei o Aquacase. Tem multidão de pessoas lá e também risco de chuva. O Aquacase tem um clipe, eu prendo-o a um bolso na parte de trás do meu top e fico bem à vontade”.

O fonoaudiólogo da ADAP, Ademir Antônio Comerlatto Júnior, doutor em Ciências pela Universidade de São Paulo, dá mais algumas dicas a seguir para quem irá curtir o carnaval com o Implante Coclear.

  • Se você tem grande sensibilidade auditiva, evite ficar muito próximo às caixas e carros de som, pois as variações da intensidade sonora podem causar momentos de desconforto acústico. Mesmo sabendo que o Implante Coclear é programado para não permitir que o som seja percebido como desconfortável, é importante se precaver.
  • Leve sempre um pano para enxugar o suor. Existem acessórios, como capas impermeáveis, que auxiliam na proteção do dispositivo, evitando que o mesmo fique úmido.
  • Não se esqueça de utilizar a sílica gel e/ou o desumidificador elétrico após a folia!
  • Evite locais próximos a fontes de água, pois algumas brincadeiras de outros foliões podem molhar o dispositivo. Em caso de chuva ou brincadeiras molhadas, proteja seu Implante Coclear, mas sem perder a empolgação. Lembre-se: o Implante Coclear deve ficar longe da água, mas você não! Mantenha-se hidratado!
  • Prenda o Implante Coclear para que não caia da orelha ou amarre-o a um fio de nylon com um pregador na ponta preso na camiseta. Não existe um padrão que seja melhor ou que se encaixe à necessidade de todos os usuários, mas essas são algumas dicas eficazes contra quedas: fita dupla face para perucas, a fim de fixar o implante na pele, e kits infantis, com ganchos e argolas de silicone.
  • Lugares com muito ruído demandam do usuário muita atenção para comunicar-se, por esse motivo, reserve um tempo para descansar. Relaxe e recarregue as baterias e logo estará pronto para continuar a festa!
  • Não se esqueça de ter sempre a mão baterias/pilhas reservas.
  • Faça uso das estratégias de comunicação e da leitura orofacial durante a folia, a fim de facilitar sua comunicação.

 

* Créditos das imagens: Pixabay.

Por Ana Raquel Périco Mangili.

Guia
Tech 4 Health
Vantagens

Faça sua doação

Contatos
Telefones:

(14) 3226-3388 (14) 3202-6091 (14) 3202-6092


Email:

Adap © 2019 - Todos os direitos reservados