12 - Quais são os cuidados que devo tomar com meu Implante Coclear?

Restrições médicas após a cirurgia do Implante Coclear

Uma das questões de extrema importância e que costuma gerar dúvidas aos implantados é a restrição a alguns procedimentos do dia a dia e exames médicos após a cirurgia do Implante Coclear. Como o IC é um dispositivo eletrônico, tanto o seu componente externo quanto o interno podem sofrer interferências de outros equipamentos, resultando em, desde uma piora momentânea na qualidade do som processado, à possibilidade de sérios danos ao aparelho e à saúde do usuário. Pensando nesse aspecto, a tabela abaixo contém as principais orientações e restrições referentes aos equipamentos eletrônicos, hospitalares ou cirúrgicos que podem interferir com o Implante Coclear. Mas lembre-se: na dúvida sobre qualquer nova situação envolvendo seu IC, consulte o Centro de Implante que realizou a sua cirurgia para maiores esclarecimentos.

 

Equipamento Eletrônico ou Situação Diária

O que acontece?

Restrição ou Recomendações

Exceções

Exame de Ressonância Magnética

O metal presente no IC seria atraído pelo aparelho de RM, causando ferimentos.

 

É proibido aos usuários de IC tanto a realização do exame como a entrada em salas em que este procedimento é realizado.

É possível realizar o exame se o imã da unidade interna do IC for removido através de uma pequena cirurgia. 

Em alguns modelos também é possível a realização sem a retirada do ímã, no entanto, em condições muito especiais.

O médico otorrino deverá sempre ser consultado caso esse exame venha a ser solicitado.

Cirurgias com bisturi elétrico monopolar

O uso desse tipo de bisturi pode queimar a unidade interna do IC.

Proibido aos usuários de IC.

 

Luz Ultravioleta para tratamentos odontológicos e camas solares

Nenhuma interação com o IC.

É permitido aos implantados.

 

Exame de Raios-X

Se o componente externo do IC estiver desligado, nenhuma reação ocorrerá.

É permitido com o IC desligado.

 

Exame de Ultrassom

Pode ocorrer interação com o IC se for realizado o Ultrassom terapêutico em regiões próximas ao implante.

O Ultrassom terapêutico é proibido, mas o Ultrassom diagnóstico é permitido sem restrições.

 

Radiação Eletromagnética de aparelhos eletrônicos (TV, computador, entre outros)

A proximidade do IC destes dispositivos podem alterar a qualidade sonora ou interferir na transmissão dos estímulos auditivos.

É aconselhável os implantados manterem uma boa distância dos aparelhos eletrônicos em funcionamento.

Quando o IC estiver desligado, a proximidade dos outros aparelhos não apresenta riscos ao implante.

Sistema de detectores de metais em bancos e aeroportos

Os materiais presentes no IC são capazes de disparar o sistema de detectores de metais.

Para evitar transtornos nesses locais, é aconselhável andar sempre com a carteira de identificação do Implante Coclear, comprovando que o paciente é mesmo implantado.

 

Sistema de vigilância eletrônica de lojas

Pode ocorrer distorção no som transmitido pelo IC e desconforto para o usuário de implante.

O Implante Coclear geralmente não dispara estes aparelhos, mas é recomendável desligar o IC quando for passar por eles.

 

Voos aéreos

Como qualquer outro aparelho eletrônico, o IC ligado pode interferir com a decolagem e o pouso dos aviões.

O Implante Coclear deve ser desligado durante o pouso e a decolagem de aeronaves.

 

Eletricidade estática

O contato e o acúmulo de cargas elétricas no corpo podem levar a choques e queimar o IC.

Alguns cuidados podem ser seguidos para evitar esse acúmulo, como por exemplo, colocar tela protetora no computador e retirar o IC quando as crianças implantadas estiverem em contato com piscina de bolinha e escorregador de plástico.

O Implante Coclear não atrai raios, este é apenas um mito popular.

Desfibrilador cardíaco

A corrente gerada pode queimar o componente interno do Implante Coclear.

Não se aplica restrições visto que o uso do equipamento é indicado apenas em casos extremos (parada cardíaca).

  

Fonte das informações: Marcella Giusti (fonoaudióloga da ADAP) e sites Implante Coclear, Ouvido Biônico e Ouvir.org.

Por Ana Raquel Périco Mangili.

-----

IC: Cuidados com o seu dispositivo

Com o uso, a umidade e poeira vão se acumulando no seu dispositivo externo podendo levar ao mau funcionamento ou dano permanente dos componentes, por isto é de extrema importância realizar a limpeza diária do mesmo.  A limpeza deve ser feita a seco. O dispositivo nunca deve ser colocado em contato com a água. Qualquer umidade, mesmo a da própria transpiração, pode atrapalhar seu funcionamento. Desta forma o dispositivo deve ser mantido sempre seco.

Além da limpeza diária existem outros procedimentos que podem ser feitos para prevenir o acúmulo de umidade.  Os dispositivos devem ser retirados para o banho, piscina, sair na chuva, e não deixados em locais úmidos ou que tenham vapor. Tenha sempre com você um recipiente para guardá-los nestes momentos. Por exemplo, na hora do banho, não deixe o dispositivo sobre a pia em contato com o vapor do chuveiro e depois de lavar a cabeça espere o cabelo secar para depois colocá-lo. O mesmo vale para a prática de esportes ou atividades que aumentem a transpiração. Caso o dispositivo seja molhado, utilize o quanto antes um pano seco para realizar a limpeza e coloque-o no pote com sílica.

Existem também alguns produtos que atuam como desumidificadores e que são vendidos na ADAP e em lojas de aparelhos auditivos. Um exemplo destes produtos é o pote com cristais de sílica. Durante a noite o dispositivo pode ser colocado dentro de um recipiente com os cristais. É importante recobri-los com gaze, espuma ou um retalho de tecido, pois com a manipulação, os cristais podem se partir e os fragmentos acumularem-se nos itens.  No caso de uso de compartimento de pilhas descartáveis, as mesmas devem ser retiradas do compartimento e guardadas separadamente. O pote precisa ser bem tampado, vedado, para que a sílica absorva a umidade do aparelho.  

Conforme os cristais vão ficando carregados de umidade eles mudam de cor, precisando ser trocados periodicamente. Costumam durar aproximadamente 2 meses.

Outra opção são os desumidificadores elétricos que possuem o mesmo princípio da sílica comum. Com o uso da sílica apropriada, pode-se potencializar a ação de retirar a umidade dos componentes.

A recomendação mais comumente passada é que seja utilizado ao menos 1 vez na semana, variando de acordo com o perfil do usuário. Para aqueles que transpiram mais ou moram em cidades litorâneas pode-se aumentar a frequência desse procedimento, visto a maior exposição do dispositivo a umidade.

Para auxílio na limpeza podemos também contar com o recurso do álcool isopropílico. É o mais apropriado para este fim, pois a porcentagem de água é menor do que 1%, e por isso a hipótese de oxidação das peças é quase nula. Nunca utilize nenhum tipo de desinfetante ou produto de limpeza comum no aparelho.

O álcool deve ser usado moderadamente. Geralmente é aplicado em uma escovinha exclusiva para a limpeza do dispositivo, sendo 1 ou 2 gotas suficientes para conseguirmos fazer a limpeza dos contatos.

 Por Marcella Giusti

Guia
Tech 4 Health
Vantagens
Contatos
Telefones:

(14) 3226-3388 (14) 3202-6091 (14) 3202-6092


Email:

Adap © 2017 - Todos os direitos reservados