45 - O que fazer quando há excesso de cera nos ouvidos?

Cerúmen (cera no ouvido) – O que fazer?

O cerúmen é a secreção produzida naturalmente pelos nossos ouvidos. Com pH ácido e consistência variável (a mais comum é do tipo úmida), ela é formada por células da pele, oleosidade das glândulas sebáceas do conduto auditivo e detritos como poeira e microrganismos acumulados nos ouvidos. Suas funções são, além de prevenir as infecções ao barrar a ação das bactérias, proteger o tímpano e lubrificar a pele do canal auditivo, evitando o ressecamento e a descamação.

A formação do cerúmen se dá na parte externa do conduto auditivo, e nosso corpo possui mecanismos de renovação das células que empurram continuamente as secreções para fora do ouvido. É natural também a permanência de um pouco de cerúmen no canal auditivo para exercer a função de proteção. Porém, quando o próprio corpo não dá conta de expelir o acúmulo de cera nos ouvidos, ou quando há produção de cerúmen em excesso, podem ocorrer sintomas como coceira, pressão ou até mesmo uma perda auditiva condutiva temporária, pelo fato da passagem do som ser bloqueada pelas secreções.

A ADAP conversou com o Dr. Rogério Hamerschmidt, chefe do Serviço de Implante Coclear do Hospital de Clinicas da Universidade Federal do Paraná, para trazer informações sobre o que fazer nos casos de acúmulo de cera nos ouvidos, sendo o indivíduo ouvinte ou usuário de aparelhos auditivos e/ou Implante Coclear. Confira a seguir a entrevista na íntegra.

ADAP: Sabe-se que o cerúmen é uma proteção natural dos nossos ouvidos. Mas também, cera em excesso pode causar problemas. Como o paciente pode diferenciar um quadro normal de cera nos ouvidos de um em excesso, e saber que está na hora de uma limpeza feita pelo médico otorrinolaringologista?

Dr. Rogério Hamerschmidt: Realmente, o cerúmen representa uma proteção contra traumas e até contra infecções bacterianas, porém, em determinadas situações, principalmente dependendo da produção de cera de cada pessoa, que é variável, pode haver um excesso de formação e a pele do ouvido não consegue absorver este excesso. Aí o paciente começa a sentir um abafamento auditivo, uma sensação de ouvido tapado e perda de audição, momento em que é indicado procurar um especialista, e nunca tentar fazer a remoção com cotonetes ou qualquer outro tipo de haste, pois, além de empurrar a cera para dentro, ainda pode machucar a pele do conduto auditivo, que é muito sensível.

ADAP: E no caso de pacientes implantados, cujo processo auditivo não passa pela orelha externa? Que tipos de problemas o cerúmen em excesso pode causar? E como saber se é hora da limpeza, mesmo não tendo a sensação de diminuição da audição?

Dr. Rogério Hamerschmidt: Nos casos de implantados, fica bem mais difícil perceber se há excesso de cera ou não, pois não vai haver a sensação de perda auditiva, já que o som não entra pelo conduto. Nestes casos, ou o paciente começa a sentir uma sensação de pressão ou coceira no ouvido, ou então em pacientes que já sabem que têm uma produção excessiva de cera, deve ser feita uma consulta de rotina para avaliação e retirada do excesso, se necessário.

ADAP: Só se pode limpar os ouvidos em um consultório médico, correto? Ou há alguma técnica de limpeza segura que a pessoa pode fazer sozinha em casa?

Dr. Rogério Hamerschmidt: Em casa, somente é indicado a lavagem normal dos ouvidos no banho, caso não haja nenhuma contraindicação à entrada de água no ouvido, como perfuração de tímpano, e deve-se secar com uma toalha, sem fazer pressão nem introduzir algo dentro do ouvido. A limpeza adequada somente é realizada, quando necessário, em consultório médico.

ADAP: Os riscos do uso do cotonete são os mesmos para quem utiliza Implante Coclear? Por quê?

Dr. Rogério Hamerschmidt: O cotonete pode empurrar o excesso de cera para dentro, dificultando depois a adequada remoção, e ainda no caso de uso excessivo, causar uma irritação na pele, alergia ou até uma infecção cutânea geral, o que pode até fazer com que o implantado precise ficar alguns dias sem o uso da unidade externa, até que a infecção seja curada. Portanto, essa orientação de não usar cotonete vale para todos, mas é ainda mais importante em quem já fez alguma cirurgia nos ouvidos, principalmente o Implante Coclear.

ADAP: Em relação aos pacientes que usam aparelhos auditivos ou implantes híbridos com molde auricular, o que deve ser feito quando os moldes estimulam o excesso de cerúmen ou alergias no canal auditivo?

Dr. Rogério Hamerschmidt: Realmente, os moldes auriculares, além de estimularem uma produção maior de cera, podem acabar empurrando a cera para dentro, e no caso de receptores de aparelhos auditivos no canal, ou seja, aparelhos auditivos que possuem os receptores junto com o molde dentro do canal, o excesso de cera pode até danificar o receptor. Portanto, em usuários de moldes auriculares, o indicado é a consulta médica de rotina para limpeza.

* Créditos das fotos: Pixabay (primeira imagem) e arquivo pessoal do entrevistado (segunda imagem).

Por Ana Raquel Périco Mangili.

Guia
Tech 4 Health
Vantagens

Faça sua doação

Contatos
Telefones:

(14) 3226-3388 (14) 3202-6091 (14) 3202-6092


Email:

Adap © 2019 - Todos os direitos reservados