18 - Poderei nadar com meu Implante Coclear?

Quero nadar com meu Implante Coclear, e agora?

* Reportagem publicada em janeiro de 2015.

Nesta época do ano, nada melhor do que se refrescar passando uma tarde na praia ou na piscina de casa. Porém, essas experiências podem não ser tão fáceis no que se refere à socialização dos usuários de Implante Coclear dentro da água: nessas situações é necessário retirar os aparelhos, pois a umidade danifica os circuitos eletrônicos do IC. Então quer dizer que a diversão no mar e na piscina deve ser curtida no silêncio e na dependência da Leitura Labial? Não mais! Três das quatro marcas de Implante disponíveis no Brasil já oferecem opções de produtos para seus usuários desfrutarem da experiência sonora enquanto nadam, tomam banho ou até mesmo durante a prática de esportes aquáticos no mar.

Infelizmente, não são todos os modelos de IC que podem ser usados na água com esses acessórios. Alguns processadores, como o Saphyr, da Neurelec, são resistentes à agua, como por exemplo, recebendo respingos de chuva ou durante a exposição à umidade do ar da praia. Mas isso não significa que ele pode ser mergulhado em água corrente. A dica válida para toda exposição à água, seja respingos ou o mergulho com o IC na capinha é colocar o processador, a antena e o cabo no desumidificador após a atividade. Agora, confira abaixo as novidades disponíveis no Brasil referente aos acessórios aquáticos para Implante Coclear.

Processador Neptune da AB, o único IC à prova d’água

A Advanced Bionics (AB) possui o primeiro processador de Implante Coclear do mundo feito exclusivamente para as experiências aquáticas, o Neptune. Este processador tem o formato estilo caixa, é resistente a mergulho de até três metros de profundidade e também suporta a água clorada da piscina. Diferentemente de outros modelos, o Neptune funciona com uma pilha AAA (recarregável ou descartável) e vem com acessórios como clipes, braçadeiras e bandanas, para prendê-lo nas costas, no braço e até no cabelo. Pensado sobretudo para as crianças, também possui várias opções de capinhas de diferentes cores. E sabia que associados da ADAP possuem descontos nas compras de processadores AB? Entre em contato conosco se quiser saber mais!

Ana Beatriz Dorázio, mãe do usuário de IC João Pedro, nos conta um pouco sobre os motivos que a levaram a adquirir o Neptune e os benefícios que ele trouxe ao seu filho. “Compramos o Neptune em dezembro de 2012. Antes disso, o João Pedro já fazia aulas de natação e futebol. O João nunca gostou muito de fazer leitura labial. Então, na natação, ele perdia muita informação e se distraía muito. Além disso, quando estávamos juntos na piscina, ele também se distanciava. Sentia também dificuldade para me comunicar com ele no banho. Quando compramos o Neptune foi muito bom vê-lo participar das brincadeiras na piscina. Ao contrario do que eu imaginava, ele não usa no banho, porém começou a prestar mais atenção ao que digo. Passou a usar também no futebol junto com o FM. Também já fomos a praias e parque aquático e ele não ficou privado de nenhum momento. Um detalhe é que é preciso passar o Neptune na água sem sal quando sair da praia e sempre usar o desumidificador elétrico”, relata.

Já Ítalo da Silva Ferreira, implantado em 2013 e fã de esportes, também gosta muito de seu processador Neptune. “Eu amo praticar esportes como natação, ciclismo e corrida. Eu queria algo que estivesse perto para tudo, aproveitando a cada momento como se fosse o último segundo da vida e vivendo a cada instante. O Neptune é o meu primeiro IC. Ao mergulhá-lo na água pela primeira vez, fiquei tão emocionado, chorei de tanta alegria e felicidade... Não tem nada igual, foi uma maravilha”, conta.

Para os usuários do processador Naída, a AB comercializa no exterior o kit AquaCase, uma capinha com microfone externo e acessórios para proteger esse tipo de Implante que não é a prova d’água. O produto pode ser conferido aqui, mas infelizmente não é vendido no Brasil.

Aqua, a famosa capinha da Cochlear

Talvez o acessório aquático para Implantes Cocleares mais popular no Brasil seja a capinha Aqua, da Cochlear, e comercializada no país pela Politec. O Aqua é um estojo de plástico descartável e com fechamento de zip lock, projetado para uso apenas em processadores Nucleus 5. Essa capinha é bastante resistente e suporta mergulhos de até 4 metros de profundidade, em água doce e salgada. Um kit com cinco unidades do produto pode ser adquirido na loja on-line da Politec aqui. Mas, lembrando que associados ADAP possuem descontos nas compras de acessórios da Cochlear, então entre em contato conosco se quiser aproveitar nossas ofertas!

Cristina Araújo, mãe da Júlia, bi-implantada de seis anos de idade, conta que o Aqua deu mais segurança à sua filha dentro da água. “Comprei para a minha filha, que fazia aula de natação. Ela nadava com uma professora particular, e assim que começou a usar o Aqua, ela se soltou, ficou super segura e saiu nadando. Ela fazia aula há um tempo, mas ficava grudada na gente. Acho que escutar na água trouxe confiança para ela, que na época era bem pequena, tinha três anos”, diz. E também tranquiliza as demais mães quanto à segurança do acessório. “O saquinho é muito resistente, difícil de rasgar com o dente. Tem que passar a tesoura com cuidado ou tentar desgrudar essa dupla face. Primeiro tem um zip lock e depois um adesivo, que acaba de selar o aparelho dentro do saquinho. Tirar esse adesivo depois de grudado, que é tipo uma dupla face, é super difícil. O que eu não gosto é a ponta do zip, que às vezes cutuca atrás da orelha. Então eu dou uma dobrada e aí prendo tudo com uma faixa, que uma mãe daqui me ensinou”, comenta.

Esse acabamento do zip lock é o que às vezes pode acabar incomodando as crianças e adultos durante o uso do Aqua. Renata Santana Soares Veloso conta que seu filho Renato, de dois anos, não se adaptou ao acessório por causa disso. “Acho que quando lacrado, o Aqua acaba incomodando. E realmente sobra um pedaço pontudo atrás da orelha”, diz. Débora Leon Ruas, mãe do Gabriel, de dois anos, também comenta sobre o que acha que deveria ser melhorado no acessório. “Tem muitas crianças que não gostam de usar porque ele é incômodo, principalmente se for colocado sem touca. Ele sempre machuca um pouquinho a orelha da criança, então evito deixar muito tempo e, assim que meu filho sai da água, já tiro. Penso que precisaria de um design melhor e o custo também é um pouco alto, até pelo fato da unidade ser descartável”.

Já Mariana Candal, mãe da Joana, de três anos e meio de idade, observa que também há a questão do imã do Implante, que pode interferir na utilização do Aqua. “É impossível manter o saquinho no lugar. Na natação, nem com a touca conseguimos que o aparelho não caísse pelo menos duas ou três vezes a cada aula”. Cristina Araújo, por sua vez, relatou que não tem problemas desse tipo com a Júlia. “O imã da minha filha é o 3. Aí é só rosquear para deixar ele mais apertado e não sair do lugar”. Mariana comentou ainda sobre a questão da qualidade do som recebido pelo processador quando ele está dentro da capinha. “Achei até que pudesse ser esse o motivo dela não ter gostado do Aqua no primeiro teste. Agora, no segundo, que ela já estava com 3 anos e meio, consegui conversar melhor e ela me disse que ouve igual e que gostou de usar o aparelho na piscina para brincar com as amigas”.

Pensando em uma atualização do Aqua, a Cochlear já lançou nos Estados Unidos uma nova versão dessa capinha, o Aqua+. No novo kit, que servirá para os modelos Nucleus 5 e Nucleus 6, vem uma antena e um cabo à prova d’água, e um case reutilizável mais de cinquenta vezes apenas para o processador, dando dessa forma uma flexibilidade maior ao aparelho dentro da água. A novidade está para chegar ao Brasil ainda este ano, e nas lojas físicas da Politec já se encontram essas peças para demonstração, como nos mostra a foto de Tainara Barbosa ao lado.

WaterWear, a capinha da MedEl para o processador Rondo

Aproveitando o lançamento de seu IC de peça única, o Rondo, com processador e antena em um único dispositivo, a fabricante MedEl também disponibilizou no Brasil uma proteção à prova d’água para ele, a capinha WaterWear. Nossa associada Magda Zobra foi uma das primeiras a adquirir este acessório no Brasil, pela ADAP, e nos conta sua opinião a respeito da capinha. “Da minha parte está aprovada. Ela até que é fácil de manusear, a única coisa na hora que for colocar é tem que tomar cuidado com a unha para não furar. Mas ela fica bem justa no implante. E testei com a faixa e com a touca de natação. Das duas formas achei seguro de usar. E tem um orifício na capinha que pode colocar um cordão pra segurar também. Mas como o Rondo só é preso pelo imã, achei a faixa ou a touca mais seguras”, diz.

Magda também alerta para se tomar cuidado com o sol quente neste verão, pois a capinha pode esquentar ainda mais o Rondo e fazê-lo parar de funcionar momentaneamente. “Eu faço corrida de rua e uso sempre o Rondo porque aguenta melhor o suor, e tem a faixa também que uso, que segura bem ele na cabeça. Mas, com a capa à prova d’água, ele esquentou e achei que era a pilha que tinha acabado, mas foi que aqueceu e o Rondo parou de funcionar. Aí foi só tirar a capa que ele voltou a funcionar”, esclarece. Se quiser adquirir a capinha WaterWear, entre em contato conosco, pois temos ótimos descontos para associados na compra de acessórios MedEl!

 

* Fontes das imagens: Advanced Bionics (primeira foto) e arquivos pessoais dos entrevistados (demais imagens).

 

Por Ana Raquel Périco Mangili.

Guia
Tech 4 Health
Vantagens

Faça sua doação

Contatos
Telefones:

(14) 3226-3388 (14) 3202-6091 (14) 3202-6092


Email:

Adap © 2019 - Todos os direitos reservados