Feira Reatech sobre tecnologias voltadas à acessibilidade ocorrerá em junho

Organizada e promovida pela Cipa Fiera Milano, a Reatech (Feira Internacional de Tecnologias em Reabilitação, Inclusão e Acessibilidade) é realizada no Brasil desde 2002. Em 2019, o evento ocorrerá do dia 13 a 16 de junho, no São Paulo Expo Exhibition & Convention Center, na capital paulista, com entrada gratuita aos visitantes (para fazer seu credenciamento on-line, clique aqui).

A cada edição, a Reatech reúne cerca de 300 expositores dos segmentos de agências de emprego voltadas para pessoas com deficiência e mobilidade reduzida, instituições financeiras, fabricantes de cadeiras de rodas, departamentos de recursos humanos, indústrias farmacêuticas, serviço de animais treinados, veículos adaptados para deficientes físicos (carros, ônibus, vans), fabricantes de aparelhos auditivos, equipamentos especiais, materiais hospitalares, higiene pessoal, próteses e órteses, terapias alternativas, turismo e lazer.

Entrevista com Rimantas Sipas, diretor comercial da Cipa Fiera Milano

Para saber mais sobre o evento e também sobre as novidades voltadas ao público com deficiência auditiva neste ano, a ADAP conversou com o diretor comercial da Cipa Fiera Milano, Rimantas Sipas. Acompanhe a seguir a entrevista.

ADAP: A Reatech está em sua 16ª edição neste ano. Desde a primeira edição até esta de 2019, como foi o crescimento do evento e sua repercussão pelo Brasil?

Rimantas Sipas: Na última edição, a feira contou com 300 expositores e atraiu mais de 50 mil visitantes em 4 dias de eventos. Acredito que o crescimento do evento se dá pelo reflexo de uma preocupação cada vez maior da sociedade com a acessibilidade, a qualidade de vida e, principalmente, a inclusão social. De acordo com a Associação Brasileira das Indústrias e Revendedores de Produtos e Serviços para Pessoas com Deficiência (Abridef), produtos e serviços voltados para esse setor movimentam um mercado de R$ 5,5 bilhões por ano. Consequentemente, a necessidade de empresas mostrarem seus novos produtos, soluções e inovações no setor aumenta. Por isso, a Reatech tem sua relevância como o maior evento na América Latina no setor.

ADAP: O senhor poderia citar acontecimentos, premiações, palestras ou exposições que foram consideradas de destaque ou memoráveis em edições anteriores da Reatech? E para este ano, está prevista alguma atração em especial?

Rimantas Sipas: Na edição de 2017, foram realizados ciclos de palestras e debates em diversos eventos paralelos e que terão espaço novamente em 2019, como: o Reasem (Seminário de Tecnologia de Reabilitação e Inclusão), o Reamed (Congresso de Medicina Física e Reabilitação), o TECFISIO (Seminário de Tecnologias Avançadas em Fisioterapia), o Reashow (Seminário dos Expositores) e o Curso Pet – Terapia Assistida por Animais e o Workshop Equoterapia.

Neste ano, além das atividades paralelas já consolidadas, realizaremos pela primeira vez o Reackathon, uma competição para estimular o desenvolvimento de soluções tecnológicas, iniciativas inovadoras que promovam a autonomia, independência, qualidade de vida e inclusão social de pessoas com deficiência e mobilidade reduzida. As inscrições foram completamente preenchidas, após a abertura oficial da competição.

O evento consiste na apresentação de soluções práticas das equipes inscritas para o mercado de acessibilidade. Para participar, as equipes deverão apresentar projetos que se enquadrarem nas áreas de interesse da saúde, envolvendo, mas não se limitando a: prevenção de doenças, cuidados básicos, diagnóstico, acompanhamento e monitoramento individualizado, processamento de dados e análises estatísticas, gestão e otimização de frota, gestão hospitalar, gestão de prontuário médico, mapeamento de enfermidades, gestão de jornadas e alocação de profissionais, entre outros. Em especial, os seguintes elementos serão observados na avaliação dos participantes:

- Experiência Digital: As soluções devem participar de forma relevante na vida dos envolvidos, através da interação digital.

- Novos Produtos e Serviços: As soluções devem remodelar, evoluir ou criar produtos e serviços que atendam às necessidades no ramo da saúde desde que focado para a Pessoa com Deficiência Física, Auditiva, Visual, Mental e Múltipla.

- Otimização: As soluções devem suplementar os conhecimentos dos cidadãos através de novas soluções.

ADAP: Para o público com deficiência auditiva, quais produtos, estandes ou serviços de acessibilidade estarão disponíveis nesta edição da Reatech?

Rimantas Sipas: Instituto Mãos que Cantam, APASMA - Associação de Pais e Amigos dos Surdos de Mauá, Instituto SELI, Brinquelibras, Espaço TK, Nurap, Sarbil.

ADAP: E para os profissionais que atuam na área da deficiência auditiva, haverá cursos ou palestras sobre o tema? Se sim, quais? São gratuitos ou pagos? Como são feitas as inscrições?

Rimantas Sipas: No primeiro dia do Seminário de Tecnologias de Reabilitação e Inclusão (Reasem), 13 de junho, será realizada a palestra “Recursos tecnológicos inclusivos e complementares na educação e comunicação de surdos”, ministrada pelo Coordenador de Marketing da Hand Talk, João Vitor Bogas. Na palestra, serão abordados os resultados expressivos do uso do aplicativo de tradução gratuito em escolas e universidades, plug-in para sites (tradução de conteúdos para libras), facilitando o acesso dos surdos à educação à distância. As vagas são limitadas. Inscrições e tabelas de preços para participação do Seminário: https://www.euvou.net.br/cursosreatech2019/home

As novidades na área de acessibilidade auditiva

Um dos destaques da feira nesta edição é um lançamento de um produto (da empresa Sinal Link Acessibilidade) para pessoas com deficiência auditiva, voltado para o atendimento do segmento hoteleiro.

Segundo Marcos Alencar, diretor comercial da empresa, “o objetivo é tornar os ambientes acessíveis a todos”. “Os produtos poderão ser adquiridos em kits montados, de acordo com a necessidade dos estabelecimentos, e apresentam como diferencial a possibilidade de serem utilizados conforme a demanda, pois são portáteis e podem ser oferecidos no momento do check-in, garantindo a durabilidade dos equipamentos”.

Em geral, quando se pensa em um quarto acessível de hotel, lembra Alencar, pensa-se somente no banheiro adequado a pessoa com mobilidade reduzida ou que está em cadeira de rodas, porém todas as deficiências devem ser contempladas. “Atuamos em adequações para todas as deficiências, mas as soluções que estamos apresentando ainda não existem completas disponíveis no mercado nacional”, explica.

O Kit SL Basic conterá recursos como relógio despertador com alarme vibratório, amplificador móvel do volume de chamada telefônica, sensor wireless luminoso e sonoro para sinalização da campainha e toque do telefone, e sensor luminoso para a sinalização de batida de porta. “Nossos produtos atendem o decreto 9296/2018 que estipula a necessidade dos estabelecimentos de hospedagem oferecerem acessibilidade arquitetônica, ajuda técnica e recursos de acessibilidade”, explica Alencar. “Além de todos esses benefícios, o kit proporciona uma experiência mais agradável aos hóspedes e as soluções ajudam os hotéis a atender as exigências legais”.

O diretor da Sinal explica que a meta principal destas soluções é atender hotéis, pousadas e demais locais de hospedagem. Mas lembra que sua utilização também pode ser estendida para outros estabelecimentos comerciais e residências. “A grande vantagem deste tipo de solução é tornar a experiência de comunicação mais rápida, fácil e segura”, diz.

Alencar antecipa que “na Reatech faremos a demonstração dos produtos e palestras para comprovar a importância da acessibilidade nas dimensões arquitetônica, atitudinal, nas comunicações e digital”.

 

* Crédito das fotografias: divulgação Reatech 2017.

 

Informações cedidas pela 2PRÓ Comunicação.
Entrevista por Ana Raquel Périco Mangili.

Guia
Tech 4 Health
Vantagens

Faça sua doação

Contatos
Telefones:

(14) 3226-3388 (14) 3202-6091 (14) 3202-6092


Email:

Adap © 2019 - Todos os direitos reservados