ADAP participa da 1ª Feira de Reabilitação em Bauru/SP

Nos dias 17, 18 e 19 de maio ocorreu a 1ª REAB – Feira de Reabilitação de Bauru, realizada no Sesi Horto. A ADAP foi uma das entidades convidadas pela idealizadora do evento, Vanessa Nogueira Bidellati, para ter seu estande em exposição durante os dias 18 e 19 (sábado e domingo), das 8h às 18h, e tirou dúvidas dos presentes na ocasião sobre Implante Coclear e Saúde Auditiva.

A abertura oficial da feira aconteceu na noite do dia 17 de maio, com uma apresentação cultural. No sábado de manhã, ocorreram palestras com temáticas ligadas às terapias de habilitação e reabilitação, como a importância da intervenção precoce; a abordagem da estimulação transcraniana no processo da reabilitação motora, cognitiva e da fala e os avanços da Comunicação Alternativa no Brasil.

No período da tarde do sábado, ocorreram workshops sobre os sentimentos dos irmãos de crianças com deficiência; sobre a música como recurso para a reabilitação de crianças; sobre práticas inclusivas na educação infantil e sobre o tratamento com fitoterápico para a espasticidade. Também teve palestras sobre como o design pode contribuir para a inovação social; sobre inclusão escolar e sobre políticas públicas com a Secretária Estadual dos Direitos da Pessoa com Deficiência, Célia Leão.

No domingo de manhã, as palestras foram sobre esportes adaptados e, além da presença do time de goalball da cidade, da Associação Bauruense de Desportos Aquáticos (ABDA) e do paratleta Juliano Alves, que deu o primeiro chute com o exoesqueleto na Copa de 2014, também contou com o vice-presidente do Comitê Paralímpico Brasileiro, Ivaldo Brandão Vieira.

Os workshops da tarde do domingo tiveram temas como fisioterapia pélvica na bexiga e intestino neurogênico; empreendedorismo feminino; Língua Brasileira de Sinais (LIBRAS) e os aspectos relevantes sobre os direitos que envolvem os responsáveis de pessoa com deficiência. Ainda a tarde teve a palestra da publicitária e fotógrafa Kica de Castro, dona de uma agência de modelos apenas para profissionais com alguma deficiência. O encerramento da feira reuniu histórias inspiradoras de mães que estão à frente de projetos e ações relacionados à pessoa com deficiência.

Para Ariani Queiroz de Sá, bauruense cadeirante que visitou a feira, o evento foi inovador para a região. “A feira REAB foi uma grande iniciativa para todo o oeste paulista, pois tivemos a oportunidade de conhecer o que as empresas voltadas para as pessoas com deficiência têm para nos oferecer. As palestras tiveram ótimos temas com profissionais capacitados. Já participei da Reatech em São Paulo e posso afirmar que tivemos aqui em Bauru uma mini Reatech. Certamente, as próximas edições da REAB serão muito mais enriquecedoras para todos nós”, relata.

Ana Paula de Souza Calixto Bitar, Coordenadora Geral do Conselho Municipal dos Direitos da Pessoa com Deficiência (COMUDE) de Bauru, também elogia a iniciativa da feira. “A REAB foi o início de uma feira inclusiva regular de muita importância para Bauru e região, porque foi uma maneira das pessoas conhecerem as tecnologias assistivas, conhecerem um pouco da vida das pessoas com deficiência, por meio de palestras, e ver que todos temos os mesmos objetivos: viver com dignidade e ser feliz. Houve palestras sobre diversos assuntos relacionados às pessoas com deficiência, sorteio de brindes e, o mais importante, a união de todos”.

O professor de Português/LIBRAS do Instituto Federal de São Paulo (campus Itaquaquecetuba), Luís Mateus da Silva Souza, participante da Associação dos Surdos de Bauru e Região (ASBA) e que ministrou o workshop “LIBRAS? Que língua é essa?” em parceria com a intérprete Andresa Lins dos Santos Salvador, avalia de maneira muito positiva a REAB e o espaço que ela deu para a troca de informações sobre a Língua Brasileira de Sinais e a comunidade Surda de Bauru e região.

“O Workshop contou com a presença de Surdos e profissionais da saúde, educação e interessados de outras áreas. Houve esclarecimento de que a LIBRAS é uma língua legítima, completa e tão complexa como as línguas orais, e teve reconhecimento pela Lei Federal nº.10.436/2002. Além disso, a ASBA, em parceria com a REAB, ofereceu serviço de interpretação das palestras durante os três dias de evento. Houve diálogo e troca de informações com os expositores presentes, além de contato com outras entidades da área, com o Centrinho e a ADAP. Muitas pessoas perguntaram sobre curso de LIBRAS em Bauru e foram informadas de que a ASBA estará oferecendo-o no mês de agosto”, conta Luís.

Vanessa Nogueira Bidellati, idealizadora da REAB, também nos deu o seu depoimento sobre o sucesso do evento. “Esses dias de feira puderam mostrar, de forma prática, como pode ser amplo e enriquecedor o encontro entre pessoas com deficiência, famílias, profissionais, universidades, instituições e empresas. Pudemos ter o conhecimento, a atualização de temas relacionados à saúde, terapias, equipamentos e serviços. Além de ter contato e vivenciar outras possibilidades como o lazer inclusivo, o esporte adaptado, opções de trabalho para a pessoa com deficiência como a de ser modelo, por exemplo. E, ainda, nos inspirarmos com histórias de mães que ressignificaram o diagnóstico de uma deficiência de seus filhos em algo grandioso e, hoje, inclusive, tocam projetos e ajudam outras pessoas que vivenciam histórias parecidas”, finaliza.  

 

* Confira, no link para a nossa página no Facebook, o álbum de fotos que a ADAP fez especialmente para a Feira REAB.

 

Matéria por Ana Raquel Périco Mangili.

Guia
Tech 4 Health
Vantagens

Faça sua doação

Contatos
Telefones:

(14) 3226-3388 (14) 3202-6091 (14) 3202-6092


Email:

Adap © 2019 - Todos os direitos reservados